A geração de energia por fontes renováveis é um dos princípios para negócios sustentáveis. A Uniodonto Sul Goiano instalou em sua sede em Itumbiara painéis fotovoltaicos, que já estão fornecendo eletricidade para o funcionamento dos serviços administrativos da cooperativa.

São 60 módulos fotovoltaicos de 370 Wp cada um, com capacidade instalada de 22,2 kWp. O projeto entrou em operação no dia 26 de novembro deste ano. Os painéis fotovoltaicos foram entregues pela empresa Ecosol Energia Solar.

A energia gerada pelos painéis em Itumbiara também vai contribuir para a redução da conta de eletricidade nas demais sedes da Uniodonto Sul Goiano, em Caldas Novas, Morrinhos e Catalão. Funciona assim: em Itumbiara, será gerado um excedente energético, que será devolvido ao Sistema Interligado Nacional. Essa devolução gerará um crédito, que será abatido nas contas das outras cidades.

“A instalação de geradores fotovoltaicos é uma tendência no mercado de energia, e nossa pequena contribuição com o objetivo de tornar a matriz energética nacional mais renovável. Além disso, a médio prazo representa uma redução de custo substancial em nossas operações com a redução na conta”, afirma o Presidente da Uniodonto Sul Goiano, Dr. João Batista Pereira Machado.

A energia gerada pelos painéis irá reduzir os valores referentes a consumo em kWh da Uniodonto Sul Goiano, inclusive no escritório de Goiatuba, que entrará em funcionamento no próximo ano.

Como funciona

A energia solar fotovoltaica é obtida através da conversão direta da luz em eletricidade, o efeito fotovoltaico. A unidade fundamental desse processo de conversão é a célula fotovoltaica, dispositivo fabricado com material semicondutor.

A produção de energia solar oferece uma solução limpa e renovável para a geração, ocasionando em menor impacto ao meio ambiente, como ocorre com fontes como a hidrelétrica ou carvão, e contribui para a diminuição da emissão de poluentes provenientes do uso de combustíveis fósseis.

Mercado aquecido

O mercado de energia solar teve crescimento recorde em 2018, e o Brasil possui uma das melhores condições no mundo para geração de energia solar. Dados da Agência Nacional de Energia Elétrica sobre o setor mostram que 40 mil sistemas estarão conectados até o final de 2018.

Até 2022, segundo dados da ABSolar, o setor nacional de geração fotovoltaica irá receber investimentos de cerca de R$ 21,3 bilhões, já contratados por meio de leilões de energia elétrica no mercado regular.

Além disso, o preço da fonte solar vem caindo substancialmente nos últimos anos: o preço médio em leilões de energia em 2013 foi de R$ 103 o MWh; já em 2018, caiu para R$ 35,20.

Deixe um comentário