Ir para o conteúdo principal

Ella Jo Baker – in memoriam

Liga Cooperativa de Jovens Negros

Foi uma importante líder do movimento pelos direitos civis, nasceu em Norfolk, Virgínia, em 1903, e cresceu em uma comunidade afro-americana na Carolina do Norte, onde os negros reuniam recursos para ajudar uns aos outros a sobreviver e prosperar no pós-escravidão. Experimentou desde cedo os benefícios de uma economia compartilhada, e trabalhou para impulsionar um novo movimento cooperativo negro aos 27 anos por meio da Liga Cooperativa de Jovens Negros.

Aprofundou seus conhecimentos sobre cooperativas depois de participar do treinamento cooperativo com uma bolsa da Liga Cooperativa dos Estados Unidos (CLUSA). Na primeira conferência da Liga Cooperativa de Jovens Negros, abordou a importância da cooperação para as mulheres negras. Foi uma das líderes do ambicioso plano para apoiar coalizões de cooperativas locais negras e clubes de compra conectados nos EUA para desenvolver um ecossistema cooperativo multissetorial.

 

Allan Gallant – in memoriam

Food Co-op Initiative and Blooming Prairie Foundation

Membro do conselho da Food Co-op Initiative, foi um líder cooperativista carismático. Allan, que era um “atacadista desde o nascimento”, atuou como CEO da Alaska Commercial Company. Lutou por oportunidades econômicas equitativas. Influenciado pelo movimento dos direitos civis após o assassinato de Martin Luther King Jr., Allan fundiu estratégias de negócios éticos com desenvolvimento comunitário na Fundação Ford e lançou o Conselho Nacional para Oportunidades Iguais de Negócios. Criou o Responsive Management Group para trabalhar com organizações e cooperativas da indústria alimentícia. em Seattle que Allan se tornou uma potência na distribuição de alimentos orgânicos. Foi o principal financiador da Food Co-op Initiative (FCI), reunindo mais de 150 novas cooperativas de alimentos, contribuindo com mais de US$ 180 milhões anualmente para a economia e gerando mais de 1.600 empregos. Faleceu aos 87 anos em julho de 2021,

 

Paul Hanzen

U.S. Overseas Cooperative Development Council

Dedica-se a fortalecer o cooperativismo nacional e internacionalmente. Depois de deixar seu cargo no poder legislativo, passou a trabalhar com cooperativas como Diretor Executivo da Kickapoo Valley Association. Tornou-se Diretor Executivo da Rural Housing Inc. em Madison, WI, onde desenvolveu cooperativas e projetos de habitação a preços acessíveis em comunidades rurais.

Em 1987, Paul ingressou na NCBA CLUSA, mais do que triplicando seu portfólio para mais de US$ 30 milhões. Suas vitórias em políticas públicas incluem a garantia do programa USDA Rural Cooperative Development Grant, financiamento para pesquisas sobre o impacto das cooperativas nos EUA. Com o avanço da tecnologia digital, Paul reconheceu a necessidade de as cooperativas expressarem sua identidade como empresas de propriedade dos associados na internet. Ele liderou um esforço para obter um domínio para cooperativas – dotCoop – uma plataforma que aumentou a conscientização do público sobre a identidade e vantagem cooperativas.

Em 2012, Paul se tornou o Diretor Executivo do Conselho de Desenvolvimento Cooperativo Ultramarino dos EUA (OCDC), liderando o esforço que resultou em um aumento de 50% no financiamento do Congresso para US$ 18,5 milhões para o Programa de Desenvolvimento Cooperativo e apoio a redes de cooperativas na África, América, Ásia e Europa.

Paul compartilha sua experiência e liderança cooperativa como membro de vários conselhos, incluindo atualmente com a Rochdale Capital Corporation e a Community Purchasing Alliance Cooperative, e anteriormente com o National Cooperative Bank, Capital Impact Partners, International Co-operative Alliance, Consumer Federation of América Cooperative Development Foundation e Cooperative Business International.

Gary Oakland

BECU

Um líder humilde e apaixonado, Gary Oakland acredita que o que é melhor para os membros individuais das cooperativas de crédito é melhor para a Cooperativa. Capacitou pessoas, aumentando o acesso a serviços financeiros às comunidades marginalizadas e elevando o modelo cooperativo por meio de advocacia, Gary ajudou a transformar a BECU, com sede em Washington, na quarta maior cooperativa de crédito do país, com 700.000 membros e US$ 10 bilhões em ativos quando se aposentou como CEO em 2012.

A abordagem de Gary em relação aos serviços financeiros ajudou a definir a cultura da BECU. Ao longo de sua carreira, Gary criou e identificou maneiras inovadoras de apoiar membros durante greves e crises. Criou um departamento de Aconselhamento e Educação Financeira com programas de educação financeira destinados a ajudar os membros e suas famílias a assumir o controle de suas finanças para alcançar seus objetivos financeiros.

Desde 1995, a Fundação BECU atendeu mais de 1.250 estudantes com mais de US$ 3,3 milhões em bolsas de estudo.

 

Dan Waddle

NRECA International

Por mais de 40 anos, o foco profissional e a paixão pessoal de Dan Waddle tem sido trabalhar junto às comunidades rurais para melhorar as condições de vida e estimular o incremento da renda, apoiando soluções de energia sustentáveis, acessíveis e de propriedade da comunidade. Compreendendo o poder do modelo de negócios cooperativo nos países em desenvolvimento, Dan se baseou em sua formação acadêmica e experiência para avaliar a viabilidade de concessionárias rurais e contribuir para o projeto de infraestrutura, treinando membros da comunidade para formar e operar concessionárias de eletricidade cooperativas.

Esses empreendimentos rurais são projetados para fornecer energia para irrigação, processamento de laticínios e grãos, abastecimento de água, saúde, educação e segurança pública. Gerenciou uma série de projetos de eletrificação de energia renovável na América Latina e no Sudeste Asiático.

Ingressou na NRECA International em 1991 após concluir o projeto de um novo programa de eletrificação para a NRECA na Bolívia. Como vice-presidente sênior da NRECA International, ele lidera as contribuições da NRECA para a expansão global da eletrificação, e projetos na América Latina, África e Ásia.

A liderança de Dan vem do compromisso de ouvir os consumidores, entender as condições econômicas locais e construir a capacidade humana.